Reduza o risco da perda de produtos por mal armazenamento em freezers e geladeiras

19 jan 2019 AMS, Varejo

Hoje em dia, quase todos os supermercados, padarias, lojas de conveniência e até mesmo bancas de jornal possuem ao menos uma geladeira ou freezer para o armazenamento e conservação de alimentos. São produtos de menor durabilidade ou que devem ser mantidos sempre refrigerados, como iogurtes, leite in natura, cerveja, massas frescas, carnes, sorvetes e polpa de frutas. Estes e muitos outros alimentos são exemplos de produtos perecíveis que demandam refrigeração e controle rígido de temperatura.

Conservando esses alimentos de forma correta, há um aumento na lucratividade dos estabelecimentos e um menor índice de perda de produtos. Entre outros fatores, é necessário fazer uma boa gestão que se atente à validade de cada produto e à temperatura do freezer ou geladeira.

Oferecer alimentos na temperatura correta faz parte de um plano de gestão no varejo – Foto: MD Duran on Unsplash

 Vale lembrar que os cuidados com a temperatura dos itens ofertados devem vir desde o transporte, onde o fornecedor é responsável pela entrega de um produto seguro e saudável. Um dos pontos que deve ser levado em conta por um estabelecimento na hora de apostar na compra de um bom equipamento de refrigeração, é que dessa forma, é possível expandir seu portfólio, tendo diferentes versões do mesmo produto. Por exemplo, é possível vender “mandioquinha” fresca na feirinha e descascada, cortada e pré-cozida, quando congelada.

Segundo levantamento feito pela Transparency Market Research, de 2012 a 2018, o mercado de refrigeração comercial teve uma expansão de 60%, mais de 8% ao ano. Houve também um grande avanço no market share de vendas de alimentos congelados por e-commerce e na venda de refeições por aplicativos, mercado que deve crescer cada vez mais.

O Smart Penguin auxilia a evitar perdas financeiras com descarte de alimentos sob armazenamento e refrigeração

Como garantir que a temperatura de freezers e geladeiras esteja correta?

De acordo com o Inmetro, é preciso seguir as normas da Resolução dos Ministérios da Agricultura e Saúde (Resolução CISA n° 10), de 1984, de que a temperatura mínima deve ser de -8°C para alimentos congelados e de até 10° C para alimentos resfriados. Invariavelmente, os estabelecimentos que não cumprem com a norma, não só perdem esses produtos, mas correm o risco de serem penalizados por fiscalizações da vigilância sanitária.

Para garantir o cumprimento dessas exigências, a Avantia desenvolveu a tecnologia Smart Penguin, que através de analíticos inteligentes, consegue monitorar a temperatura dos equipamentos, disparando um alerta em tempo real caso haja alguma alteração indesejada.

O sistema proporciona redução de custos, controle e otimização de processos, redução do risco corporativo e aumento de qualidade. Ele conta com a tecnologia de Internet das Coisas ao conectar os equipamentos do supermercado com a central de monitoramento.

Sensores inteligentes de temperatura

               O Smart Penguin possibilita a gestão de temperatura com sensores inteligentes aplicados em câmaras frias e geladeiras, setor de laticínios e balcões de carne, pizza, peixes e outros. Cada sensor transmite para pontos concentradores as informações de temperatura que excedem o mínimo e máximo configurados.

Quer saber mais sobre a solução Smart Penguin? Solicite a visita de um de nossos consultores e entenda como esta ferramenta poderá otimizar sua operação.

Quero saber mais!

Encontre a opção ideal de monitoramento para sua empresa. Entre em contato com a Avantia.

Assine nossa newsletter

Close Bitnami banner
Bitnami